Baiano Filho e ministro Wadson Oliveira