Polícia

Polícia investiga morte de indígena de 9 anos com sinais de agressão em MT

Uma menina indígena, de 9 anos, morreu, no domingo, no hospital em Querência, após ter dado entrada na unidade médica com sinais de agressão. Um investigador da Polícia Civil informou, ao Só Notícias, que a polícia foi comunicada pela enfermeira da aldeia onde a menor morava com os pais, localizada a cerca de 180 km do centro da cidade.

A criança que possuía deficiência mental, foi socorrida e encaminhada ao hospital. Ela apresentava ferimentos possivelmente de agressão. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal para exame de necropsia.

Ainda segundo o investigador todos os familiares já foram ouvidos, mas não foi divulgado o teor das declarações.

Conforme Só Notícias já informou, um recém-nascida indígena foi encontrada enterrada com viva, em junho deste ano, nos fundos do quintal da residência onde a família indígena reside no bairro Nova Canarana, em Canarana (879 quilômetros de Cuiabá). Os militares começaram a escavar e se surpreenderam com o choro da recém-nascida, que foi salva com vida.

Inicialmente a mãe e a avó disseram que constataram que a criança teria nascido morta e enterraram seguindo as tradições indígenas, mas as investigações apontaram que a bisavó, de 57 anos, e a avó, de 33, premeditaram o infanticídio. Elas não queriam a bebê por ser filha de mãe solteira.

A menor foi encaminhada e continua em um abrigo público em Canarana.