Economia

Sinop: menos de 30% de vagas de trabalho foram preenchidas no ano

Menos de 30% (27,5%) das vagas de trabalho ofertadas por empresas que procuraram o Sistema Nacional de Emprego (Sine) em busca de profissionais com perfil mais próximo para as funções disponíveis, foram preenchidos no primeiro quadrimestre do ano. A realidade reflete um cenário já conhecido dos empresários na hora de contratar, isto é, a falta de qualificação. Das 841 vagas abertas, 232 acabaram preenchidas após as empresas entrevistarem os profissionais encaminahdos pelo Sine.

Setores da indústria, comércio, o segmento agrícola ainda têm encontrado dificuldades para efetivar funcionários preparados com cursos correspondentes às áreas que necessitam. Dados do Sine mostram que em janeiro foram 195 vagas ofertadas. Dos trabalhadores encaminhados para entrevista, somente 54 conseguiram emprego.

Para fevereiro, de acordo com o serviço, houve uma queda no número de ofertas e, consequentemente, de colocações. No segundo mês deste ano foram 179 oportunidades abertas mas apenas 49 preenchidas. Em março, 220 e 61, respectivamente. Em abril 247 ofertadas e 68 pessoas foram contratadas.

O levantamento refere-se exclusivamente ao Sine e a pesquisa não envolve as colocações realizadas pelas agências de emprego privadas. No ano passado, 3.203 vagas foram ofertadas pelos diferentes setores do município. Destas, 818 foram preenchidas. Em doze meses, 4.453 pessoas foram encaminhadas para entrevistas nas empresas.

A falta de qualificação profissional é a principal deficiência.